domingo, 10 de outubro de 2010

VERDADES QUE ESQUECERAM DE ACONTECER

Houve uma certa repercussão o meu último post, pelo menos por e-mail (não sei porque meus amigos preferem e insistem fazer comentários por e-mail ao invés de comentar no blog ???). Mas, dizia eu, houve uma certa repercussão quando eu disse que admirava boas histórias, mesmo que essas não fossem tão verdadeiras.


Mas é verdade, admiro a mentira sim. Claro que não aquelas mentiras prejudiciais, que tem por objetivo tirar proveito próprio ou que prejudicar alguém, de tirar vantagem, de enganar, mas aquelas mentiras inocentes, aquelas estórias contadas que nunca existiram, a não ser na mente de seus criadores.

Gosto da criatividade e da capacidade de improvisar dos contadores de causos. Em poucos segundos tem que ter a habilidade de conduzir e desdobrar a história para que ela fique o mais convincente possível.

É muito engraçado quando minha família se junta e meus tios se reúnem para contar seus causos. Mesmo sabendo que há no máximo uns 10% de verdade naquelas histórias, é muito interessante perceber como conduzem, alteram e o desfecho que dão a elas.

Já dizia Francis Bacon que “a mentira é mais interessante que a verdade”. Alguns poetas e filósofos defendem que a mentira é o tempero da realidade, o toque que refina o cotidiano, deixa o comum mais belo, elaborado, mais interessante mesmo. E o que é a literatura, a ficção, se não uma mentira bem contada? Ou uma verdade que esqueceu de acontecer...

A verdade pode, talvez, atingir o preço da pérola que mais brilha durante o dia, mas não alcança o preço do diamante ou do carbúnculo que tanto mais brilham quanto mais variadas forem as luzes. Com a mistura da mentira mais se acresce o prazer. Haverá alguém para duvidar que, tirando ao espírito humano as opiniões vãs, as esperanças lisonjeiras, as falsas valorações, as imaginações pessoais, etc., para a maior parte da gente tudo o mais não seria senão uma espécie de pobres coisas contraídas, cheias de melancolia e de indisposição, enfim, desagradáveis?

Francis Bacon, in 'Ensaios - Da Verdade'

3 comentários:

JU disse...

Post perfeito...

mentirinhas inofensivas não fazem mal a ninguém e ainda dão mais cor ao dia a dia...

LUFE disse...

Muito bom o texto.
Sensacional esta frse:
"E o que é a literatura, a ficção, se não uma mentira bem contada? Ou uma verdade que esqueceu de acontecer..."

"Quem conta um conto aumenta um ponto"
ditado popular.

Não há como escrever um conto ou contar um caso, se a mentira, o "floreio da verdade"não form utilizados. Perde a graça...

Um abraço

GIBA disse...

mais um excelente texto.

fantástica essa frase do Quintana.